Como agências de viagem podem se beneficiar com a ascensão dos blogs

Como agências de viagem podem se beneficiar com a ascensão dos blogs

Por Guilherme Tetamanti 

No final de 2015 fui convidado por uma conceituada agência de viagens para uma reunião. Confesso que fiquei desconfiado, afinal a relação entre os participantes do mercado de turismo ficou apimentada após o surgimento e natural ascensão dos blogs.

Mídias convencionais perdendo espaço, jornalistas desvalorizados, agências de viagem perdendo clientes. São temas polêmicos e cada vez mais frequentes desde que me tornei blogueiro em maio de 2011. É fato, os blogs cutucaram um mercado que parceria estagnado, o que gerou muitas faíscas devido aos constantes debates.

Mas não tem jeito, é a liberdade de expressão, capitalismo, lei da oferta e procura…tudo junto e misturado atuando no desenvolvimento dos mercados. Contudo, o cenário não é exclusivo do turismo. Não seria a mesma situação dos taxistas, cooperativas e empresas de transporte em relação ao Uber? Na minha visão sim, e da mesma forma que o mercado de transporte de pessoas está se adequando ao panorama atual, os players do turismo estão aparando suas arestas com louvor. 

Agências de turismo e blogueiros

Cheguei a reunião no horário marcado. O convite surgiu exatamente para discutirmos ideias sobre como poderíamos atuar para que ambos os lados, agências e blogs, começassem a trabalhar juntos para colher frutos de eventuais parcerias.

Agências vendem serviços, roteiros e fazem de tudo para que seus clientes tenham a melhor experiência possível. Blogs compartilham informação. É evidente que muitas das pessoas que antes nem faziam ideia de como viajar de forma independente, passassem a eliminar um intermediário para planejar as próprias férias.

Por outro lado, o alcance dos blogueiros que espalham suas dicas por diversas redes sociais, atiça a vontade nas pessoas. Ahhh meu amigo, e depois que um reles mortal é picado pelo mosquito e adquiri o vício em ser viajante, é um caminho sem volta. Você acha mesmo que isso é ruim para o mercado?

Tudo bem, as agência perderam um porção de clientes aqui, outros ali. Culpa dos blogs, da internet, do novo cenário mundial e isso afetou o mercado como um todo. O que não mudou, é o fato de que existem perfis diferentes de viajantes. Claro, muita gente descobriu que seria possível cair na estrada gastando muito menos. Ao mesmo tempo, tantas outras pessoas foram impactadas e sentiram a necessidade de viajar…de forma independente ou não. Sempre existirá quem queira contratar um serviço personalizado, mesmo sabendo que existem outras alternativas.

Deixo uma questão: o que é melhor, ganhar uma fatia do mercado ou aumentar o bolo?

A autoridade dos blogs

Durante a reunião, além de divagar sobre o cenário, também conversamos a respeito de estratégias práticas, para que blogueiros e donos de agências pudessem realmente trabalhar juntos. Acredito que autoridade, é uma das chaves para essa questão.

Estudando sobre o comportamento dos usuários na internet, descobri que a ascensão dos blogs está diretamente relacionada a autoridade que seus autores demonstram em relação ao conteúdo que produzem. Ou seja, os leitores enxergam que o blogueiro é um especialista no assunto. Evidentemente, vários fatores influem na mensuração dessa autoridade, como idade do blog, alcance, destinos visitados, provas sociais, etc. Mas não quero me aprofundar nesse tema.

Isso quer dizer que as pessoas escutam o blogueiro e acreditam na veracidade das informações, mas isso não saiu da minha cabeça. Em pesquisa realizada pela ABBV (Associação Brasileira de Blogs de Viagem) feita através de 40 blogs associados, mostrou que 70% dos leitores utilizam os blogs de viagem como fonte de consulta para a escolha do destino. Já as agências de viagem representam o meio em que os leitores menos confiam: apenas 13% levam em conta as informações fornecidas pelas agências.

É bem verdade que o perfil dos leitores dos blogs é majoritariamente de viajantes independentes e experientes. Mas será que agências e blogs não poderiam trabalhar juntos para que diminua a discrepância entre esses números? Eu acho que sim! 

Como trabalharmos juntos?

Bom, já que leitores prezam pela autoridade e transparência dos blogueiros, porque não trazer essa experiência para dentro de uma agência de viagens? É realmente inviável contratar algum especialista para cuidar da estratégia de marketing de conteúdo de uma empresa?

São questões profundas e pode ser que você leitor ainda não esteja habituado com alguns destes termos. Porém, posso te garantir que a grande maioria dos blogueiros estuda diariamente esses temas para transformarem suas plataformas em verdadeiras potencias na mídia. Uns conseguem chegar lá, outros não! A verdade é que hoje em dia, uma pequena fatia consegue viver exclusivamente do blog. O que não tira o mérito de todos os outros.

Analisando a conjuntura do mercado, não seria uma boa ideia apoiar essas pessoas e levar um pouco dessa autoridade para as agências? Enfim, eu enxergo alguns formatos e estou trabalhando para coloca-los em prática, trazendo retorno real para meus parceiros. Para explicar tudo aqui, talvez só com o áudio da reunião!

Guilherme Tetamanti é empreendedor digital e membro da ABBV – Associação Brasileira de Blogs de Viagem. Escreve no Quero Viajar Mais (www.queroviajarmais.com) desde 2011.

As opiniões expressas neste texto são do autor e não refletem, necessariamente, a posição da WTM Latin America e ABBV enquanto entidade.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.