Para curtir a natureza: saia do celular e viva os parques e unidades de conservação

Para curtir a natureza: saia do celular e viva os parques e unidades de conservação

Publicado originalmente em abeta.tur.br

País tropical e bonito por natureza, mas que beleza! Que o Brasil é repleto de paisagens exuberantes e rico na diversidade da fauna e flora, você já deve saber. Mas você conhece realmente o Brasil da natureza, do ecoturismo, dos parques nacionais e das unidades de conservação?

Estes lugares são o que temos de mais preciosos e democráticos para se conectar de verdade com a natureza. E em cidades grandes, principalmente, com a correria e rotina, isso vem se perdendo cada vez mais. A tecnologia tem tomado espaço em nossas vidas de tal forma que esquecemos de observar o verde, sentir o cheiro das flores, tocar a grama, pisar na terra e observar as aves e as montanhas, por exemplo.

Isso, contudo, pode e deve mudar. E cada um de nós tem um papel importante nessa história. Nas UCs e parques nacionais podemos curtir momentos preciosos com a família, criando uma conexão ainda maior com a natureza e a vida ao ar livre, indispensável para uma melhor qualidade de vida.

Importância das Unidades de Conservação

No Brasil existem, ao todo, 73 parques, os quais estão sob a gestão do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Com certeza um deles está perto de você, cheio de áreas verdes e rico em biodiversidade. E a importância das UCs, para o turismo e para a sociedade como um todo é enorme. Para ver a lista dos parques nacionais e unidades de conservação, acesse aqui.

De acordo com Adriano Melo, coordenador de projetos da Conservation International aqui no Brasil, nós precisamos da natureza para prosperar, e as unidades de conservação são espaços naturais comuns privilegiados e democráticos. “As UCs são espaços que estimulam o cuidado, a criatividade e a colaboração. Se valorizadas, podem elevar a um outro patamar economias e pequenas sociedades, repartindo benefícios sociais, ambientais e econômicos, a partir do desenvolvimento dos diversos segmentos do turismo e cadeias de valor associadas.”

Também entusiasta do uso público dos parques e UCs, o diretor-executivo do Instituto Semeia Fernando Pieroni acredita que eles são peça central para desenvolver o turismo e promover o contato com a natureza. Além disso, segundo ele, a prática turística é importantíssima para a preservação e manutenção desses locais. A lógica é que, se alguém está ali curtindo a vida ao ar livre, passeando, conhecendo e desbravando (de forma responsável, sempre) a natureza, já está automaticamente cuidando do lugar.

O Semeia acredita que os parques naturais e urbanos podem ser fontes de riqueza, para o país, contribuindo com a geração de oportunidades de lazer, emprego, renda e bem-estar à população, além de atuar na construção de parcerias para tornar esse potencial uma realidade.

Indo ao encontro dessa visão do Semeia, Adriano enxerga o Brasil como o principal país do mundo no quesito recursos naturais: “Somos reconhecidos como tal, mas em infraestrutura e serviços para gerar experiências inesquecíveis e transformadoras na natureza, estamos bem abaixo de países com PIB menor que o nosso. Avanços têm sido notados na busca pela reversão desse processo, mas precisamos integrar ainda mais as agendas público e privada para avançar de forma muito mais rápida, e assim mostrar à sociedade a importância das UCs em diversos âmbitos para ganhar aliados nessa luta”.

Como aproveitar os parques e as UCs pelo Brasil

Trilhas, caminhadas, mergulho em cachoeiras, atividades de aventura e outras infinitas opções de lazer. É possível ter experiências inesquecíveis, seja sozinho, em casal, com amigos ou em família nos parques ao redor do país. Eles estão em todos os cantos esperando por você, para cuidar e viver lado a lado à natureza. Sempre há um próximo, ou vários até, e no entorno deles, comunidades e cidades ricas em história, cultura e receptividade. Conhecer um parque ou uma UC é certeza de aprendizado e interação com o meio ambiente.

E, caso deseje conhecer algum parque mais distante da sua cidade, não esqueça de entrar em contato com empresas que oferecem o serviço de guias de turismo, que facilita e enriquece sua experiência nas unidades de conservação. Se você optar por isso, não se esqueça, sempre há um associado ABETA perto dos principais parques nacionais, que tornará sua viagem inesquecível. Clique aqui e entre em contato com um deles.

Permita-se desconectar do smartphones e conecte-se à natureza dos parques sempre que possível. Isso pode transformar sua vida e criar novas histórias para você contar.

As opiniões expressas neste texto são do autor e não refletem, necessariamente, a posição da WTM Latin America.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.