WTM Latin America entrega Prêmio de Turismo Responsável e debate a reconstrução do turismo

WTM Latin America entrega Prêmio de Turismo Responsável e debate a reconstrução do turismo

Em mais um dia de intensa movimentação nos pavilhões, a WTM Latin America foi palco de debates sobre temas essenciais à reconstrução do turismo. Com plateias lotadas, os três teatros – Diversidade & Inclusão, Travel Tech e Turismo Responsável – destacaram desafios como qualificação profissional, iniciativas em prol da diversidade e o uso de dados para guiar decisões estratégicas.

O principal evento B2B da região começou com uma capacitação do Ministério do Turismo, com o tema “o bem-atender do turismo acessível”, que trouxe dados para a implementação de políticas de acessibilidade e ações de capacitação do trade. Carlos Brito assumiu o Ministério do Turismo há seis dias e visitou a WTM Latin America hoje. “O turismo merece ser o grande protagonista desse país”, disse. Acompanhado por Simon Mayle, diretor do evento, Brito andou pelos dois pavilhões e prometeu uma gestão de continuidade, fazendo questão de conversar com muitos dos dirigentes, expositores e empresários presentes. 

Verônica Kunze, subsecretária do Chile, também reforçou a importância do turismo para a recuperação econômica e ressaltou o papel da WTM Latin America para restabelecer as conexões e criar novos laços comerciais. “É emocionante encontrar as pessoas de novo depois de tanto tempo. Vamos seguir trabalhando para ter uma contínua movimentação de turistas entre Brasil e Chile”, disse. O país recebeu 4,5 milhões de turistas internacionais em 2019 e a projeção é fechar o ano com 2 milhões de viajantes.

Sob o mote “Chile is Back”, o país participa do evento com uma comitiva de 25 empresas que representam todas as regiões turísticas chilenas. A ideia é mostrar aos agentes de viagens e operadores toda a oferta de novos produtos e serviços desenvolvidos com foco em experiências. Segundo Verônica, na próxima semana o Chile deve anunciar um relaxamento nas restrições à entrada de viajantes internacionais.  

Dados, pessoas e tecnologia

O impacto da guerra entre Rússia e Ucrânia no turismo foi abordado no painel “A perspectiva para o turismo na América Latina, no Brasil e no mundo pós-pandemia”. Segundo Juán Gómez, head de Inteligência de Mercado da FowardKeys, as intercorrências relacionadas com o confronto já estão em patamar limitado, mas outros fatores decorrentes devem ser observados como a superinflação e a consequente diminuição no poder de compra.

Leonardo Seabra (Empresa Potiguar de Promoção Turística) e Nicolás Franco (ProColombia) participaram do debate e defenderam o uso de dados como saída estratégica para a reconstrução dos negócios. Entender a demanda, criar produtos customizados – seja por segmento ou com foco em mercados emissores – e monitorar os resultados é essencial para ter resultados assertivos. 

Outra frente importante nesse sentido é desenvolver programas de qualificação profissional, um grande desafio que não se limita à indústria do turismo. Cássio Sales Oliveira, Claiton Armelim e Gregorio Polaino defenderam que a iniciativa traz oportunidades na retenção de talentos e consolida relacionamentos de fidelidade e confiança entre empregador e colaborador, além de impulsionar a competitividade do país. 

Em termos de serviços públicos, Daniel Antonelli, gerente do departamento de Novos Negócios do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), apresentou novidades que estão em desenvolvimento e devem ser disponibilizadas em breve. O “Embarque+ Seguro” é uma tecnologia que cruza informações do banco de dados dos órgãos governamentais e possibilita que o passageiro embarque em aviões sem precisar apresentar qualquer documento, apoiado na identificação biométrica. Os aeroportos de Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ) já devem ter essa facilidade no segundo semestre.

Outra estreia aguardada é o novo check-in totalmente digital em hotéis, integrado ao sistema gov.br, o que permite centralizar tudo em um único banco de dados. “Como estas informações são ainda analógicas, elas acabam se perdendo. Com um banco de dados mais completo, vai ser possível gerar painéis para a indústria do turismo, desde a saída do passageiro de casa, qual transporte utiliza, onde se hospeda e muito mais”, explicou.

Build Back Better

Gustavo Pinto, conselheiro para Turismo Responsável WTM Latin America, abriu a palestra sobre turismo Responsável no pós-pandemia e convidou Gustavo Timo, diretor de destinos e produtos da Adventure Travel Trade Association, para inspirar os participantes por meio de cases. “A ATTA está trabalhando em uma agenda de retomada focada em minimizar os impactos que o turismo traz para os destinos”, explicou.

Camila Baro, diretora da agência Gondwana, dividiu a experiência da empresa durante os últimos dois anos. “Foi um período muito difícil, mas que acabou sendo uma oportunidade para nos transformar em uma empresa melhor”, declarou. Por causa da pandemia, a empresa deixou de focar no público estrangeiro para criar roteiros voltados ao público local. 

Tomás Garcia, diretor da chilena Smartrip explicou a proposta de ajudar as comunidades locais a se desenvolver culturalmente e economicamente. “Destinamos 20% dos nossos ganhos para financiar programas de desenvolvimento econômico e social nas áreas em que atuamos”, explicou.  “Nosso compromisso é com as pessoas, com a cultura local e com a natureza”, definiu.

“Aliados da Diversidade” reuniu Bruno Wendling (Fundação de Turismo do Mato Grosso do Sul), Bruno Reis (Empresa Potiguar de Promoção Turística) e Eduardo Murad (3Sixty/BeFly) em torno de estratégias para ampliar a construção de times diversos em todos os setores e segmentos do turismo. A conclusão, unânime entre os participantes, é que é preciso internalizar essa causa para ter, de fato, toda a sociedade representada nos quadros funcionais de todas as esferas. “Essa mudança cabe a nós”, cravou Murad. 

Isso inclui, obviamente, a contratação de profissionais sêniores e a criação de produtos e serviços voltados a esse público para combater o combate ao etarismo. O preconceito etário desconsidera 36% da população brasileira economicamente ativa e menospreza grandes oportunidades de negócios, criando produtos direcionados a esse público. 

Turismo Responsável

O dia também foi marcado pela entrega do Prêmio Turismo Responsável, criado para reconhecer os avanços, abrir espaço para a replicação de cases de sucesso e a construção conjunta de um mundo mais sustentável. “Vocês inspiram todos nós a sermos melhores a cada dia e o turismo tem o poder de mudar o rumo dos destinos”, defendeu Mayle durante a cerimônia.

A premiação faz parte da família de prêmios Global Responsible Tourism Awards, criados há oito anos para validar boas práticas dentro da indústria do turismo. Os finalistas das seis categorias foram julgados por 18 profissionais de diferentes áreas de todo o continente, de acordo com três quesitos: originalidade, impacto e potencial de replicação dentro da indústria do turismo. Conheça os vencedores:

Descarbonização do setor de viagens e turismo

2 prêmios Gold e 1 prêmio “One to Watch”

Gold – Iberostar Hotels & Resorts e Mecenas da Vida

One to Watch – Green Initiative

Apoio a funcionários e comunidades durante a pandemia

1 prêmio Gold, 1 prêmio Silver e 1 One to Watch

Gold – Braziliando

Silver – Hotel Belmar (Costa Rica)

One to Watch – EPOSAK

Destinos que apoiam a reconstrução mais sustentável pós-COVID

1 prêmio Gold

Secretaria de Turismo do governo do Estado de Tamaulipas (México)

Aumento da Diversidade no Turismo: Quão inclusiva é a nossa indústria?

1 prêmio Gold, 1 prêmio Silver e 1 One to Watch

Gold – Il Viaggio Travel (Costa Rica)

Silver – Diáspora.Black

One to Watch – Accor Brasil

Reduzindo o desperdício de plástico no meio ambiente

1 prêmio Gold e 2 Silver

Gold – Red Costarricense de Turismo Acessible 

Silver – Wilderness Patagonia e Iberostar Hotels & Resorts

Aumento do benefício econômico local

1 prêmio Gold e 1 Silver

Gold – TUI Care Foundation (México)

Silver – Smartrip (Chile)

Sobre o World Travel Market

O portfólio do World Travel Market (WTM) compreende os principais eventos de viagens, portais online e plataformas virtuais em quatro continentes, gerando mais de US$ 7,5 bilhões em negócios do setor.

Sobre a WTM Latin America

A WTM Latin America ocorre anualmente em São Paulo e atrai cerca de 19 mil profissionais de turismo durante três dias de evento. A feira oferece conteúdo qualificado, além de networking e oportunidades de negócios. Em sua nona edição – a primeira 100% virtual, realizada em 2021 – a WTM Latin America seguiu seu foco na geração efetiva de negócios e atingiu a marca de 4.200 encontros realizados entre compradores, agentes de viagens e expositores. 

Mais informações – WTM Latin America

ComunicaHub

Marcia Leite (11) 9-4334 3017

Fran Xavier (41) 9-9188 9576

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.